Modalidade faz parte do dia a dia do Instituto Mauá de Tecnologia, que oferece três quadras a alunos e colaboradores

Encontrar quadras voltadas à prática do tênis em faculdades do país não é algo comum. No Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), porém, a modalidade já tem longa história e é reconhecida como aliada no desempenho dos alunos em sala de aula.

No campus São Caetano do Sul, o tênis é jogado em três quadras poliesportivas – denominadas assim porque também são utilizadas para a prática do futsal, vôlei, basquete e handebol.

Faculdade-Mauá
Foto: Rodrigo Rocha

“As dimensões das quadras são as mesmas que as oficiais, ficando o diferencial para os recuos (fundo e lateral), que são menores. Nosso piso também é constituído de um material emborrachado, tornando o jogo mais rápido que os pisos duros tradicionais, feitos normalmente de cimento”, explica o Coordenador do Centro de Esportes e Atividades Físicas da Mauá, Waldomiro Garcia Ferreira.

O professor foi contratado pela Mauá em 2005 e naquela época o tênis já se fazia presente. “Na época fiquei muito surpreso e satisfeito em notar que a instituição valorizava o tênis. O IMT entende que o corpo e a mente se completam. Esta linha de pensamento segue até hoje com um grande diferencial frente a outras instituições de ensino, que não têm espaço para a modalidade”, compara Ferreira.

Faculdade-Mauá
Foto: Rodrigo Rocha

O coordenador de esportes da Mauá enfatiza que a reitoria vê no esporte, o tênis no caso, um complemento ao aprendizado dos alunos. A própria ciência comprova que a atividade física ajuda no entendimento acadêmico. “Existem inúmeros estudos comprovando que realizar atividade física ou um esporte ajuda no desempenho dos estudos. Nosso cérebro fica mais oxigenado, melhorando as ligações (sinapses) internas, além da descarga de hormônios que melhoram nossa disposição. A atividade física também ajuda na qualidade do sono e nesse período ocorre a recuperação do organismo de forma geral”, ensina Waldomiro Ferreira, lembrando que a modalidade também pode ser usada para fazer ligações com as áreas de Engenharia, Administração e Design – cursos oferecidos pelo IMT -, por meio de exemplos nas salas de aula.


Modus operandi

Fundada com a missão de propagar o ensino e à pesquisa científica e tecnológica, a instituição leva esses ideais para o tênis. Para difundir o esporte, o setor responsável por Ferreira monta quadro com horários disponíveis para o tênis e entrega ao departamento de marketing, que faz a informação chegar a todos os alunos e colaboradores por diferentes canais de comunicação.

Gratuitas, as aulas de tênis são realizadas de segunda a sexta-feira, das 13h às 18h (início do último horário) por cerca de 112 praticantes – que também podem alugar as quadras para jogos recreativos. E importante, as atividades são comandadas pelo professor Cássio Vetorrazi, ex-jogador que possui CREF (que certifica a formação em educação física). “Ele é qualificado para desenvolver um bom trabalho. Essa é uma modalidade difícil e tendo um profissional especializado o aprendizado se torna mais rápido e fácil. Isso também se aplica para as turmas nos níveis intermediário, avançado e treinamento”, comenta Ferreira. “A visão do especialista consegue captar os erros mais sutis, corrigindo de imediato”, completa.

O Instituto Mauá ainda conta com uma equipe de competição, com três atletas no masculino e três no feminino. “A modalidade é pouco explorada pelas instituições que realizam o esporte universitário. Está sendo feito um esforço com essas entidades para que o tênis seja melhor promovido”, conta Waldomiro, que tenta otimizar o jogo dos tenistas da Mauá com convite a clubes. “São momentos agradáveis, pois ampliamos nosso conhecimento de como a modalidade está sendo desenvolvida. O Mesc (São Bernardo) e o Tênis Clube de São Caetano já estiveram conosco, assim como já jogamos com tenistas da Associação Atlética Banco do Brasil de Itapecerica da Serra.” Que seja sempre assim.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome