Clube de Diadema tem nova gestão na modalidade, que já alterou a metodologia de treinamento

A despeito da verba reduzida, é com trabalho qualificado que a Mercedes pretende ganhar terreno no tênis. O clube, que fica na divisa de Diadema com São Bernardo, está com novo comando na modalidade. Coordenador de tênis no Esperia, o ex-jogador Albers Bernardes assumiu função idêntica na agremiação do ABC e projeta colher frutos em médio prazo.

“A mudança na gestão foi para modernizar a atividade dentro da Mercedes. Queremos atender melhor os associados e praticantes da modalidade, trazer mais jogadores e participar dos campeonatos da Liga ABC e Interclubes”, enumerou a supervisora de esportes, Priscila Almeida, que também passou pelo Esperia.

Em pouco tempo desde que foi oficializado no cargo, Albers diz que implementou uma nova linguagem para o tênis, otimizando as aulas em grupo. É dessa maneira, qualificando o treinamento dos seus jogadores, que a Mercedes espera dar um salto de arrecadação com a modalidade. Segundo ele, a associação fatura cerca de R$ 5 mil por mês com o tênis, valor que é utilizado para pagar os profissionais e fazer a compra de materiais – sendo ainda que uma parte vai para o próprio clube. A ideia é dobrar esse valor. “As aulas (em grupo) seguem processos de trabalho, definidos por blocos de tempo. Em cada bloco se realiza uma determinada atividade, sempre alternando ajuda individual dada pelo professor com tarefas distribuídas aos demais alunos. Além de dar o treino, o professor (Wanderley Guimarães, que foi formado na base do Esperia) atua como um gestor do tempo, garantindo que todos vivenciem situações previsíveis, imprevisíveis e por vezes intermediária”, explica o coordenador, que também é capitão da seleção paulista juvenil.

“Nossa filosofia é trazer os treinos para o mais perto possível da realidade do jogo, com o máximo de situações com ‘bola viva’ que pudemos proporcionar. Procuramos usar o máximo possível de exercícios com a bola em jogo, usando lançamento com carrinho em situações muito pontuais somente quando é necessário”, acrescentou Albers.

Além da metodologia que busca se aproximar do que o tênis pede, os destaques são encaminhados para o Esperia. Por meio de parceria, eles são direcionados ao clube de São Paulo para dar sequência à evolução. Desde o início desse novo momento da Mercedes, dois nomes já ganharam oportunidade: Rafael Antunes e Willian Carvalho.


QUADRAS NOVAS

Clube da Mercedes
Foto: Divulgação

As duas quadras duras da Mercedes devem ter outra ‘cara’ até o fim do primeiro semestre, conforme revelou o coordenador de tênis. A reforma pretende deixar as partidas mais “gostosas de se assistirem”. “Estamos iniciando uma reforma que usará um material sintético que vai emborrachar o piso das quadras, tornando-as mais macias. Também deixaremos o piso mais áspero, provocando um jogo mais lento e agradável.”

Assim, com as quadras novas e um trabalho qualificado, a Mercedes pensa em receber alunos de fora. Há interesse, inclusive, em estabelecer parcerias com professores do ABC para o uso das quadras em esquema de locação. O clube tem 120 tenistas atualmente, mas foca na qualidade e – com essas ações – se movimenta para ampliar o número de praticantes nas suas duas quadras.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome