Amigos do tênis, quanto tempo, não?

Aqui estou trazendo mais informação sobre seu equipamento e nesta edição vou escrever sobre um tema que parece manjado, mas nem tanto: RAQUETES USADAS – O que preciso saber ANTES de comprar?

Falei com alguns dos grandes nomes referenciais, tais como lojistas, encordoadores, entre outros, e a contribuição deles foi fundamental para que eu traga informações ainda mais valiosas sobre o assunto. 

As informações são tão importantes que resolvi dividir em duas partes. Então, seguirei com o mesmo tema na próxima edição.

Antes de tudo, SEMPRE faça a pergunta a seguir para si mesmo: “preciso mesmo comprar uma raquete?” Por diversas razões, devemos sempre ter certeza que uma compra é necessária, seja para a finalidade que for.

Bom, já definiu que precisa de raquete e não será nova. Porque está sem grana ou porque prefere pegar uma raquete com estado de conservação próximo ao da sua, por exemplo (e isso faz uma baita diferença para jogadores avançados, como falarei adiante), ou até porque será uma sobressalente, para ficar na bag se quebrar corda. Tem muitas razões para a escolha de raquete usada. Só quis pontuar exemplos práticos.

Pronto para comprar? O mais óbvio ainda nesse começo é que busque PROCEDÊNCIA da pretensa raquete. Não dá para correr risco de comprar raquete roubada, por exemplo, né?

Já deu uma checada nas coisas mais preliminares e agora precisa ver a raquete de alguma forma. Pode ser foto? Claro! Mas quanto mais fotos, das mais variadas posições, melhor. Fotos em macro, aquele modo onde o zoom é explorado ao máximo, principalmente no coração da raquete e protetor de cabeça original (aquele plástico que recobre o topo da cabeça), contarão mais ou menos pontos em favor da compra. Protetor surrado, coração com pequenas trincas, mesmo que pareçam apenas pintura, já desvalorizam bastante. Se quiser comprar assim mesmo, não aceite pagar o valor médio do mercado. Tem que ser mais barato nesses contextos, ok?

Ah, a raquete tem um protetor adesivo, impedindo de ver o protetor original? Peça que o vendedor o retire e faça fotos sem o mesmo. Você não compraria um carro com uma capa por cima, concorda?

Já vi lojista cobrindo marcas no aro com tinta, obviamente para esconder pancadas no aro. Por menores que sejam, deveriam ser reveladas, não escondidas. Se o camarada revela os pequenos “problemas”, você só tem razões para acreditar na honestidade dele. Desconfie de quem pretende esconder coisas.

Ainda sobre uma pintura “estranha”, já te ocorreu que pode estar prestes a comprar uma raquete que foi restaurada, isto é, quebrou e foi recondicionada? Eu não pagaria 1/3 do valor de mercado em uma raquete dessa. Aliás, não compraria jamais assim, por diversas razões.

Passou todas essas fases e já sabe o fabricante, linha e modelo certinho que está comprando? Sim? TEM CERTEZA? Muita, mas muita gente compra raquete olhando suas cores sem, no entanto, checar se o modelo tem o peso que busca, por exemplo. Daí compra a versão “pro” quando queria uma raquete mais leve ou vice-versa, pegou? Ou que o padrão de encordoamento é 18×20, quando deveria ser 16×19. 

E quando está tudo certinho e descobre que o CABO é muito mais fino ou grosso do que o padrão que precisa? Se não for de uma marca que permita a troca do cabo, ou não tiver um profissional por perto que domine boas técnicas para engrossar ou afinar este, terá que fazer gambiarras monstruosas para que seu jogo não seja prejudicado.

Viu aí quantos problemas só nessa primeira parte? Pois é. Acho, apenas acho, que vale a pena considerar essas coisinhas para não fazer mau negócio.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome