Amigos do tênis, como estão?

Bem, nessa edição é a vez de aprender um pouquinho mais sobre raquetes e assim farei uma nova pergunta: “Flexibilidade das raquetes – O que muda no seu jogo?”

Sobre flexibilidade dos aros gostaria de esclarecer o maior equívoco espalhado no nosso tênis, não por negligência, mas por conta da especificidade da informação, combinada com a sensação, o feeling, ao golpear a bola e a vontade de “traduzir” este impacto para as pessoas que querem entender o que acontece nessa hora, mas que ainda não tem tal sensibilidade.

Você já conseguiu perceber uma raquete mais “dura” ou mais “macia” do que outra? Não estou falando das cordas e suas tensões, mas do aro. Imagine pegar duas raquetes bem diferentes com a mesma corda, tensão e peso iguais e conseguir perceber diferenças importantes entre elas.

Resolvida a forma como compreende e capta essa sensação, pense da seguinte forma: a raquete que te traz sensação de maciez, conforto, absorção de choque, expulsão fácil da bola, facilidade no manuseio e outros fatores seria a raquete mais macia, certo? Logo, a raquete que dá sensação de peso, de impacto forte, de necessidade de fazer força pra acelerar a bola, de que precisa de mais precisão pra obter regularidade, desconforto, seria então a raquete dura, não é? E seu te dissesse que é EXATAMENTE O CONTRÁRIO?! 

A raquete mais macia tem aro MENOS FLEXÍVEL, portanto, de fibras mais rígidas. E as raquetes mais duras, na verdade, são as de material MAIS FLEXÍVEL, assim então, menos rígidas.

Não ficou claro? Isso acontece por conta da associação, muito equivocada, que fazemos do aro com a tensão das cordas, onde tensões mais baixas deixam as raquetes mais macias e o contrário, onde tensões mais altas deixam as raquetes mais duras, exemplos práticos facilmente perceptíveis.

No caso do aro, as regras são opostas. Um aro mais flexível faz com que a bola passe mais tempo em contato com a cabeça da raquete, transferindo muito mais impacto para seus membros superiores. Com isso, é necessário fazer muito mais força pra bater na bolinha com um modelo muito flexível.

Já com uma raquete mais rígida, estes “problemas” não ocorrem com a mesma intensidade. Ao contrário, raquetes mais rígidas promovem expulsão mais rápida e intensa depois do impacto, diminuindo muito a transferência de choque para o corpo, fazendo a bolinha “andar” mais, fazendo menos força.

Se acha que sua raquete não “solta” a bola, pode ser que ela seja flexível demais. Se acontece o contrário, expulsa muito, pode ser que tenha em mãos um aro muito mais rígido do que deveria.

RESUMO MAIS QUE OBJETIVO: Raquete que parece macia e confortável quase sempre terá aro mais rígido. Raquete que parece dura e difícil de manusear será a de aro mais flexível. Entendeu agora?

A flexibilidade/rigidez do aro interfere demais em muitos outros aspectos que vou falar lá no YouTube e também no portal da revista. Te espero lá.

Um abraço e que o spin esteja com você!

André Lima

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome