Olá, amigos do tênis!

Que prazer entrar no time Revista Winner. Estou empolgado com a coluna por aqui e com o desafio de trazer informação efetivamente relevante para um público tão seleto.

Bom, me chamo André Lima e sou criador do canal do YouTube “Speak On TENNIS”, espaço onde trarei dicas sobre equipamento, regras e muito mais sobre tênis. Aqui e no canal vou abordar um assunto menos óbvio, como será parte do que publicar no YouTube. Você sabe o que é “Sweet Spot”?

Sweet Spot, numa tradução livre do inglês para o português é “ponto (ou área) doce”. É a área dentro da cabeça da raquete, quase no centro ou um pouco acima da parte encordoada que, ao sofrer o impacto da batida da bola, proporciona ao tenista a melhor sensação possível, a batida perfeita. E que diferenças isso faz pra quem joga tênis? A resposta é: TODAS POSSÍVEIS, com letras garrafais mesmo.

Imagine jogar tênis conseguindo obter a maior potência, o mais intenso efeito, a melhor sensação de toque com o maior conforto que for possível, tudo isso recebendo a menor carga de vibração do aro e das cordas? Além disso, pense como seria gastar menos energia e receber menos impacto no corpo, essencialmente na mão, braço, antebraço e ombros…

Pois bem, se você consegue obter regularidade em atingir o Sweet Spot da sua raquete o maior número de vezes que for possível, terá todos estes benefícios e não só isso. Também terá mais precisão nos seus golpes e consequentemente mais domínio geral como jogador.

É importante destacar que há vários pontos que promovem variações na posição e tamanho do Sweet Spot e aqui farei uma lista de aspectos mais óbvios que interferem no mesmo imediatamente:

• Tamanho da cabeça da raquete: Cabeça maior, Sweet Spot maior;

• Formato da cabeça: OVAL – Sweet Spot um pouco acima do centro, considerando a raquete na vertical. REDONDA/CIRCULAR – Sweet Spot praticamente no centro da cabeça;

• Tensão da corda: Tensão mais alta reduz o ponto doce;

• Tipo de corda: Copolímeros de poliéster e outros monofilamentos por serem mais “duras” reduzem substancialmente o ponto doce, ao passo que as sintéticas, de multifilamentos, aumentam um pouco essa área;

Acho que com essas poucas informações você já consegue entender como é importante aumentar o número de batidas atingindo o Sweet Spot o maior número possível de vezes e igualmente saberá o que te ajuda ou não na hora de aumentar essa verdadeira área nobre da sua raquete. Para fechar, jamais desista de uma raquete nova com a qual parece nunca se acostumar. Experimente variar a altura do ponto de impacto, subindo um pouco em direção ao topo da cabeça ou ainda abaixando um pouco mais próximo do centro, buscando o real sweet spot desta nova raquete. Mesmo sendo um modelo novo da mesma raquete que usava anteriormente, o ponto doce pode estar ligeiramente deslocado. Entender isso pode te ajudar a manter a nova arma ao invés de desistir e tentar outro modelo, pelos transtornos naturais da troca e, claro, pra que não faça um novo investimento no curtíssimo prazo. Bem, por enquanto é isso!

Para mais visite www.YouTube.com/SpeakOnTENNIS.

Te espero por lá!

Abraço,

André Lima


Andre Lima - Speak on TennisAndré Lima atua como professor de tênis desde 1995. Assessorou a parte técnica de eventos como o Challenger de Belo Horizonte por quase 10 anos e foi Árbitro da CBT /Juiz de Cadeira certificado como White Badge da ITF. Além disso atuou por 5 anos na HEAD Brasil, à frente da Coordenação de Patrocínios e como especialista em equipamento. É atualmente Diretor de Conteúdo do CONATÊNIS – Congresso Nacional Online de Tênis e Criador do Canal Speak On TENNIS do YouTube


www.youtube.com/SpeakOnTENNIS
www.facebook.com/speakontennis
www.instagram.com/speakontennis

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome