Olá, amigos do tênis!

Estou de volta e, de bate-pronto, faço uma pergunta:

Você tem CERTEZA que está usando a RAQUETE CORRETA?

Checar se a minha raquete está alinhada com as demandas é primordial para saúde física, técnica, econômica e mental, por que não? Quando tudo está bem a fluidez do jogo é outra e estar com a raquete correta só ajuda, concorda?

A raquete que você usou com 12, 16, 25, 30, 35 anos e assim por diante precisa ser trocada ao longo do tempo por diversos motivos que levam a um jogo tecnicamente eficiente e sem dores.

Punho, braço, ombro, costas não deveriam sofrer se a raquete tivesse certa. Igualmente terminar um jogo de três sets não deveria ser mais difícil por conta da raquete que usa e se essa for, por exemplo, mais pesada e flexível do que deveria, isso acontecerá, fatalmente.

Bem resumidamente, o que precisa considerar para ter uma ideia próxima do ideal de raquete?


IDADE

Crianças precisam de raquetes adaptadas em peso e comprimento de acordo com estatura e envergadura. Saindo dos 10 para 11-12, precisa de uma raquete leve, até 280-285g e comprimento mais próximo das 27 polegadas, com cabeças jamais menores que 98 sq in. (polegadas quadradas), com preferência para as “oversize”, acima de 102 sq in. Adultos iniciantes devem sempre preferir raquetes nessa faixa também. Se está começando a jogar na terceira idade, escolha as raquetes com peso entre 275 e 285g e cabeça oversize também, além de preferir as de peso na cabeça. Tenistas com mais de 30 anos devem ter cuidado especial com raquetes pesadas, acima dos 310g. São grandes vilãs dessa turma, mesmo os tenistas avançados, sobretudo professores, que passam horas diariamente soltando bola, voleando, batendo do fundo, muitas vezes com tenistas que exigem mais do físico.


NÍVEL TÉCNICO

Intermediários, de 4.a classe e 3.a classe já podem pensar em jogar com raquetes na casa dos 300, 305g, 310 no máximo, e com peso equilibrado. Da 2.a classe acima, dependendo de como está fisicamente e como mantem rotina de treinos dentro e fora da quadra, pensar numa raquete acima de 310g, com peso no cabo e um padrão de encordoamento mais “fechado”, como 18×20, pra garantir mais controle, é uma opção, mas com ressalvas. Preferir um padrão mais aberto, tipo 16×19, 16×18, é mais sensato quase sempre, especialmente para amadores. Se tiver um jogo com mais spin, por exemplo, essa escolha faz mais sentido ainda. Um aro mais flexível também ajuda muito a controlar a bola, então é recorrente um avançado preferir modelos menos rígidos, contrariando o que muita gente pensa. Ainda explicarei isso por aqui.

Uau! Foi rápido como um ace! Quer mais?

Vai lá no Speak On TENNIS no YouTube.

Que o spin esteja com você!

Um abraço, André Lima

 


Andre Lima - Speak on TennisAndré Lima atua como professor de tênis desde 1995. Assessorou a parte técnica de eventos como o Challenger de Belo Horizonte por quase 10 anos e foi Árbitro da CBT /Juiz de Cadeira certificado como White Badge da ITF. Além disso atuou por 5 anos na HEAD Brasil, à frente da Coordenação de Patrocínios e como especialista em equipamento. É atualmente Diretor de Conteúdo do CONATÊNIS – Congresso Nacional Online de Tênis e Criador do Canal Speak On TENNIS do YouTube


 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome