Problemas relacionados a coluna atrapalham tenistas, principalmente por descuido no preparo físico

“Ai minhas costas!” A frase é comum no cotidiano das pessoas e no caso dos tenistas não é nada diferente. Parte importante do corpo na sustentação e movimentação, a coluna tende a acarretar lesões se o atleta não tomar os devidos cuidados.

Segundo o Dr. André Lafratta, especialista em ortopedia e traumatologia, e cirurgião da coluna vertebral, os treinamentos precisam ter como foco o fortalecimento. “O atleta necessita manter a atenção no fortalecimento muscular, visando ter um melhor preparo. Outro ponto fundamental são os alongamentos da cadeia posterior da coluna. Além disso, os membros inferiores são primordiais para evitar lesões sempre orientados por fisioterapeutas”, argumentou.

Lesão
Foto: Divulgação

As principais lesões nas costas são as lombares, devido a flexo rotação do tronco, o que proporciona entorses, contraturas, e às vezes herniações discais. “A hérnia de disco se traduz por rompimento do ânulo do disco (capa que reveste o disco e mantém seu conteúdo interno preso) e extravasamento do conteúdo discal comprimindo as estruturas nervosas e ocasionando dores nas pernas e costas”, explicou.

A hérnia de disco é um caso a parte no dia a dia. Todo tenista já ouviu falar, passou pela lesão ou no mínimo conhece alguém que já esteve nesta situação. Comum na modalidade, este tipo de problema precisa de atenção especial. “Esta lesão ocorre principalmente por overusing, um termo em inglês, que significa treino em excesso. A parte de fibra que envolve a parte externa do disco tem resistência a cargas de compressão axial, mas não resiste a carga de componente de flexo rotação, exatamente o mecanismo de ação do tênis.”

Neste caso, é preciso ratificar a base de treinamentos para a proteção do atleta, reforçando os músculos multífidos (centro das costas) e longuíssimos (dorso), assim como no seu alongamento. “Estes são os músculos das costas que entram em contratura nos quadros inflamatórios. Sabemos também que fortalecendo e alongando esses dois músculos em especial, juntamente com glúteo e músculos posteriores da coxa, ajudamos a estrutura do disco intervertebral”, define.


Cuidados

Na maioria dos golpes do tênis, e também movimentações de ataque e defesa, a coluna se sobrecarrega sendo na troca de posição ou uso da força. Nos saques e saltos, este fato pode crescer. “Estes movimentos utilizam energia cinética maiores e com grande movimento de rotação são os mais preocupantes mesmo, trazendo mais atenção. Como já dito,  o bom condicionamento físico é o principal método de cuidado”, alerta Lafratta.

Dores agudas na região das costas podem ser combatidas com crioterapia (frio intenso) ou gelo local, além de analgésicos e anti inflamatórios, mas com a necessidade importante de consultar o especialista.

“Importante salientar que as lesões ocorrem com maior frequência nos atletas de final de semana, aqueles que não se preparam e não tem o cuidado em estabelecer um treinamento cuidadoso, evitando assim lesões do esporte. O excesso de peso também é outro fator que aumenta a chance de lesão muscular. Recomendo também tomar cuidado com golpes de alta potência em atletas mais velhos. Sabemos que a fibra muscular do indivíduo de 40 anos é menos elástica que do indivíduo com metade da idade, podendo causar maior número de problemas”, finalizou.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome