Excesso de treinos e uso indevido do mecanismo corporal são os principais problemas para o atleta

Se o tenista enfrenta dificuldades corporais com os joelhos, cotovelos ou quadris, os ombros também não ficam para trás, indicada por muitos médicos como a principal ferramenta do corpo que se desgasta no atleta que joga tênis.

Como de praxe na maioria das lesões, o excesso de treinamentos – muitas vezes realizados inadequadamente – é um dos principais motivos para os traumas. “A grande incidência de lesões é acarretada por excesso de treinos e pela própria exigência do esporte. Alguns autores descrevem que até 50% dos tenistas profissionais apresentam-se com doenças na articulação do ombro. O desgaste dos ombros no tênis se deve principalmente pelo uso repetitivo”, comentou o doutor Luís Gustavo P. Nascimento, mestre em cirurgia do ombro e cotovelo pela Santa Casa de São Paulo e médico assistente do grupo da Faculdade de Medicina do ABC.

O ombro é a articulação com maior amplitude de movimento do corpo humano e particularmente no tênis, o principal relacionado às lesões é o de abdução (movimento de abertura) e rotação externa, correspondente ao movimento do saque.

Os principais problemas no ombro associados à prática da modalidade são: a Síndrome do Impacto e as decorrentes lesões do manguito rotador; as lesões labiais, principalmente do lábio superior denominada de lesão SLAP e as instabilidades decorrentes das lesões labiais anteriores e posteriores; lesão do tendão do bíceps (porção da cabeça longa); artrite da articulação acromioclavicular (entre a clavícula e a escapula); artrose do ombro, entre outras.

Para evitar ou diminuir o risco, os treinamentos precisam ser bem pensados, no aspecto qualitativo e quantitativo. “Um treinamento ruim pode gerar desde um quadro inflamatório inicial leve até mesmo uma lesão mais séria. Este deve sempre ser adequado para cada nível de atleta, ou seja, ser ‘personalizado’, dividido por categorias. A melhor maneira de evitar as lesões nos ombros é a prevenção. Esta é realizada mantendo toda musculatura dos ombros, membros superiores, costas, cintura abdominal e membros inferiores em geral, fortalecidas, e a musculação surge como principal fonte.”

Porém, nem todo tipo de atividade de fortalecimento é adequado. Os principais exercícios para o ombro são aqueles relacionados ao fortalecimento do manguito rotador e da musculatura estabilizadora da escápula. Além disso, o tênis, que é considerado um esporte de arremesso, propicia ao longo do tempo um maior alongamento das estruturas anteriores do ombro como mecanismo de adaptação durante o movimento do saque ou “smash”.

“Torna-se de extrema importância o equilíbrio muscular e capsular da articulação do ombro, o que propiciará um movimento balanceado prevenindo as lesões. Deve-se sempre enfatizar a importância ao tenista além do fortalecimento do manguito rotador o alongamento das estruturas anatômicas, principalmente da cápsula posterior”, explicou.

Outra condição muitas vezes associada ao tenista é a discinesia escapulo torácica. Esta corresponde a uma alteração do ritmo normal do movimento da escapula, ou seja, ao analisar a elevação dos braços de um atleta ou paciente, se observa uma assimetria entre as escápulas ao se movimentarem. Isto também é um fator predisponente a lesões no ombro e deve ser corrigido através do fortalecimento da musculatura e estabilizadora da escapula.

Em caso de dor, o tenista deve imediatamente procurar o ortopedista especialista em ombro. Um quadro inflamatório relativamente simples inicialmente, pode, se não for tratado, evoluir para uma lesão mais complexa prejudicando o rendimento esportivo e até mesmo impedindo-o de praticar o tênis. Tais lesões podem inclusive cursar com necessidade de tratamento cirúrgico das mesmas. “Uma outra recomendação de extrema importância é o tempo de repouso após uma atividade física extenuante. Uma musculatura, em geral, necessita em torno de 48 horas para se recuperar de uma atividade física exagerada. Não respeitar este tempo de recuperação, principalmente para os atletas não profissionais, aumenta muito o risco de lesões”, finalizou.


SAQUE É O FOCO DE CUIDADO PRINCIPAL

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome