Com 40 anos de contribuição ao tênis regional, Miro treinou a maioria dos professores e técnicos atuais 

São mais de quatro décadas de contribuição ao tênis do ABC. Altamiro Soares, o Miro, pode ser considerado um dos precursores da modalidade na Região, afinal deu vida ao tênis por aqui quando o acesso a uma raquete era restrito. Um exemplo da importância desse homem é que a maioria dos professores e técnicos locais passaram por suas mãos, sendo alunos ou boleiros.

Miro Patrimônio do ABC
Foto: Rodrigo Rocha

“Não existiam muitos praticantes. A maioria dos jogadores era do São Bernardo Tênis Clube. Começou a crescer em 1983, quando surgiram as quadras da Associação dos Funcionários Públicos. Ainda nesse ano, passei a dar aulas nas quadras da Prefeitura de São Bernardo, que eram gratuitas e também particulares, mas com preço inferior as demais. Isso contribuiu para o aumento de tenistas”, recorda Miro. “Também naquela época, pelo fato de começarmos a jogar torneios da Federação, o público apareceu e alavancou o número de participantes. Mas, um dos maiores problemas na época é que o tênis era muito elitizado, caro.”

O tênis entrou na vida do treinador como um meio de sobrevivência. Engraxate desde cedo, tirava uma grana como pegador de bolas no antigo clube da Volkswagen, em São Bernardo. Em pouco tempo, virou jogador e professor.

“Com 16 anos, disputei o primeiro campeonato de estreantes do interclubes. Nas quartas de final, nós iríamos enfrentar Cotia e eles tinham um tenista muito bom. Aí meu diretor fez um desafio. Disse que, se eu vencesse o adversário, ganharia um emprego como professor, daria aula para as crianças. Foi o que aconteceu”, conta o veterano, que assim ensaiava os primeiros passos para ajudar a levantar o tênis regional.

Miro Patrimônio do ABCRapidamente, Altamiro Soares se tornou um dos primeiros jogadores profissionais do ABC. “Eu e o meu amigo Mauro Arcangeli fomos os primeiros a competir na primeira classe da Federação Paulista, a partir daí passei a jogar os qualificatórios profissionais. Não consegui pontos na ATP, era muito difícil para mim porque não tinha patrocínio e ficava difícil viajar”, lamentou o ex-tenista, que mesmo assim conseguiu bons resultados e fez frente a nomes importantes da época. “Tive privilégio de fazer partidas exibição contra atletas de nível mundial, como por exemplo o Carlos Alberto Kirmayr.”

Na função de técnico, Miro trilhou caminho de respeito, a ponto de ser o tutor de Carla Tiene – que chegou a ocupar o top 300 na WTA. Vários e vários jogadores e boleiros trabalharam com ele, tanto que a Winner precisou preparar uma lista de professores da atualidade (veja ao lado) que foram comandados pelo treinador.

“Tenho todos como filhos. Tiveram trajetória de sucesso por gostarem do tênis e pela dedicação, também creio que tiveram um bom incentivo, não só de minha parte”, diz Altamiro Soares, que deixou seu legado para a modalidade no ABC, desfrutado pela geração de hoje.

“Os jogos exibição que eu fazia traziam um grande público, as pessoas tinham oportunidade de ver profissionais que assistiam apenas pela televisão. Fiz discípulos que se espelharam no meu trabalho, pegando o que achavam de bom e cada um buscou o aperfeiçoamento. Acredito que dei o pontapé inicial por meio do incentivo”, comemora Miro.

Aos 56 anos, ele não para. Toda semana vem para São Caetano e transmite conhecimento principalmente em Tatuí, cidade do Interior de São Paulo – onde mora.

“Em Tatuí, treino meu filho João Pedro, que tem um grande potencial e me ajuda com algumas aulas.” O tênis agradece, Miro. O ABC não se esquece de você.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome