Projeto social em São Caetano dá chance para crianças de colégios públicos, mas exige bom desempenho escolar

Raramente praticado em escolas públicas, o tênis tem nos projetos sociais a saída para incluir crianças e jovens que não teriam essa oportunidade em uma situação normal, devido principalmente à questão financeira. Em São Caetano, o “Raquete na mão é a solução” leva 50 pequenos de colégios da cidade para além das aulas de educação física, para além do futebol, vôlei ou basquete.

Projeto Social - Raquete na mão é a solução
Foto: Divulgação

Com cerca de um ano de vida, o projeto é executado pela empresa CR Tennis, que desde 2003 desenvolve trabalhos junto ao São Caetano Esporte Clube. É na agremiação que os jovens – de 5 a 15 anos – vivenciam a modalidade uma vez por semana, desde que não faltem duas vezes seguidas e apresentem bom desempenho escolar. O esporte vem seguido da responsabilidade, conforme explica a coordenadora Cassia Lorenzini.

“Foram escolhidas apenas crianças com bom aproveitamento escolar para esse projeto. Com isso, elas têm a obrigação de continuar estudando e as aulas (de tênis) dão mais estímulo. Se elas forem mal na escola, serão substituídas por outras crianças. Isso dá uma responsabilidade, de estudar mais e assim seguir praticando o tênis”, avalia Cassia.

Assim como outras iniciativas do tipo apresentadas pela Winner ABC, o “Raquete na mão é a solução” enfrenta uma série de dificuldades para não morrer, mas sobrevive com a missão inclusive de propagar o tênis. “É por meio desse projeto que damos a oportunidade de todos conhecerem o tênis. Conseguimos ir nas escolas e mostrar o esporte para professores e crianças, tornando o esporte mais popular. Poderíamos ter não só o vôlei, basquete e futebol nos colégios, mas também o tênis. Além disso, podemos pegar talentos dentro das escolas e trazer para os clubes”, enumera a coordenadora, que é graduada e pós-graduada em cursos ligados ao esporte.

Projeto Social - Raquete na mão é a solução
Foto: Divulgação

No projeto social, as turmas são divididas em grupo de quatro alunos – respeitando as diferenças de idade. A fragmentação escolhida tem o objetivo de otimizar o entendimento do tênis, mas também de passar o lado coletivo do jogo.

“O tênis é um esporte individual que exige disciplina, o fato de ter que decidir sozinho e rápido ajuda a criança no desenvolvimento mental, social e intelectual. Mas também tem um lado coletivo. As aulas são dadas em grupos, até para forçar a colaboração entre eles, especialmente no jogo de duplas. Um tem que se comprometer e ajudar o outro”, explica Cassia Lorenzini, ressaltando que os dois professores (Paulo Vieira e Francisco Weides Rodrigues) são formados em educação física e primeira classe na Federação Paulista.

Projeto Social - Raquete na mão é a solução
Foto: Divulgação

Questionada sobre a metodologia aplicada, a responsável pelo projeto de São Caetano enfatiza que há a preocupação em respeitar o desenvolvimento das crianças, sem pular etapas. “Fazemos o máximo possível para que elas gostem de estar na quadra, fazendo com que aprendam a jogar brincando, sem ser algo maciço”, respondeu Cassia, lembrando ainda que são usadas bolas menos pesadas do que as convencionais nos treinos.

“No fim, esses jovens podem se transformar em bons professores de tênis por meio de faculdade, terem oportunidade de estudar fora do país com bolsa de estudos, como vários já conseguiram por meio de trabalho que fizemos, de alunos que indicamos”, completou a coordenadora.


CR TENNIS

Idealizadora do “Raquete na mão é a solução”, a empresa atua nas áreas de tênis, beach tennis e fitness desde 1996. As atividades da CR Tennis são realizadas no São Caetano Esporte Clube, que alugou suas quadras para este projeto social que começou em 2015.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome