É importante que as crianças desenvolvam várias habilidades antes da transição em intensidade maior ao tênis

Com experiência de 30 anos no trabalho com crianças e adolescentes no tênis, sempre apresento o treinamento multilateral (que contempla o estímulo de habilidades motoras, flexibilidade, resistência, força e potência respeitando a evolução e idade do atleta) para ajudar as crianças a serem mais ativas, em busca de um desenvolvimento melhor no esporte – não só no tênis de campo.

As crianças que treinam têm um bom rendimento em casa, na escola e no campo atlético, sem contar na ajuda de uma aparência saudável. Atualmente, os jovens convivem com tentações, que passam por computadores e celulares. O sedentarismo acaba por bater à porta, tendo como consequência o sobrepeso natural e a prática da atividade física cada vez mais difícil, além de aumentar o risco de lesões, enfermidades e até mortes prematuras.

Uma pesquisa recentemente realizada nos Estados Unidos mostra que uma entre duas crianças locais conseguem realizar um único levantamento de barra física, revelando fraqueza dos membros superiores. No Brasil, não é diferente já que grande parte dos jovens evita atividade física nas escolas, desenvolvendo o sedentarismo e o sobrepeso.

Quando a criança/adolescente se apresenta para o treinamento de tênis, faço diversas observações. Ela chega na bola com segurança para rebater a bola? Tem equilíbrio? Desliza na quadra de saibro? Como está a autoestima? Um atleta com maior autoestima, por exemplo, tem mais confiança e isso interfere na força muscular, coordenação e explosão. Como consequência, esse tenista vai chegar na bola com segurança.

Foto: Divulgação – Academia Tênis & Cia

A criança – ou o adolescente – precisa trabalhar em cima de um programa nutricional feito em conjunto com o preparador físico. Esses pontos são fundamentais para que se inicie um bom trabalho. É importante que os profissionais estejam bem informados sobre todas as mudanças físicas, emocionais e cognitivas e se estruturem para um treinamento adequado, buscando os programas que aumentem o potencial espontâneo infantil.

Em nenhuma hipótese, deve se aplicar programa de treinamento para adultos em crianças, pois no início da infância o ser humano passa por vários estágios de desenvolvimento que incluem pré-puberdade, puberdade, pós-puberdade e maturação. Para cada uma dessas etapas há uma fase correspondente de treinamento esportivo.

Leia também:  Meligeni vence mais uma e está nas quartas no Campeonato Internacional de Tênis

As crianças adoram competir, mas os pais, treinadores e administradores têm que procurar os melhores programas de treinamento para elevar o potencial esportivo infantil, daí a importância do treinamento multilateral a longo prazo e não ao desgaste a curto prazo. É assim que alcançamos a excelência no futuro.


Formação e experiência com profissionais

Preparador físico - Roberto Carlos

Roberto Carlos é pós-graduado em treinamento desportivo na Rússia e nos Estados Unidos e, ao longo da carreira, foi preparador físico dos brasileiros Rogério Dutra Silva, Guilherme Clezar, Ricardo Hocevar, Julio Silva e Tiago Alves – que viveu grande fase ao lado de Betão. No momento, desenvolve os tenistas Glauco, na Pavão Tênis, e Rafaela Santos, na Tênis & Cia, duas promessas do ABC.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome