O alongamento é uma modalidade de exercício fundamental para o bom envelhecimento e para a prática esportiva. A capacidade de alongar a musculatura e seus tendões permite amplitude maior de movimentos dos membros e da coluna, aumenta a resistência muscular e também o arco de movimento das articulações a longo prazo. Porém, o alongamento continua polêmico entre os especialistas em medicina esportiva.

A questão do “longo prazo” é importante. Isso porque as qualidades e benefícios de alongar são comprovados quando se pensa na realização de séries diárias ou semanais desse exercício, mas quando se refere àquele alongamento logo antes de começar a atividade física a história é diferente e os pesquisadores já não entendem tão bem suas vantagens.

Segundo o Dr. Luiz Fernando Michaelis, especialista em ortopedia e traumatologia em Santo André, existem três tipos de alongamentos. “O primeiro tipo é o ‘clássico’ alongamento estático, no qual o praticante estende um determinado grupo muscular em uma posição forçada por alguns segundos sozinho. O segundo tipo é o chamado alongamento dinâmico, em que o atleta realiza movimentos sequenciais da musculatura que deseja alongar, como um nadador que ao aquecer faz aqueles movimentos com o braço para frente e para trás, como faz Michael Phelps antes de suas provas. Esse tipo assemelha-se ao que chamamos de aquecimento, em certo aspecto. O último nada mais é que o alongamento com um parceiro, em que um ajuda o outro a atingir cada vez mais o limite da extensão muscular, geralmente no chão”, especificou.

Alguns Exercícios de AlongamentoO fato é que acredita-se que alongar logo antes do exercício não é tão benéfico quanto se imagina. “Alguns estudos demonstraram que o alongamento estático gera microlesões na musculatura que prejudicam o atleta em sua performance por até uma hora após o alongamento, o que no caso de um velocista, que conta os milésimos para ganhar uma prova, podem ser decisivos. Além disso, não está bem definido se o alongamento estático antes da atividade física diminui o risco de lesão e alguns estudos indicam que podem até aumentar o risco. Sabe-se que não devemos realizá-lo por mais que 60 segundos cada grupo muscular nessa situação”, explicou Michaelis.

Importante ressaltar que apesar desses trabalhos, a literatura médica não entrou em consenso quanto ao alongamento antes do exercício e seus benefícios ou malefícios. Portanto, é importante pensar mais em aquecer ou realizar alongamentos dinâmicos logo antes da atividade física.

Quanto ao alongamento com um parceiro, não há tantos estudos que permitem afirmar algo mais concreto nessa situação específica de pré-atividade. A conclusão dessa discussão é que se deve individualizar o alongamento para a atividade do praticante. Na situação específica da prática do tênis, há ainda mais variáveis, pois cada tipo de superfície predispõe a um tipo de esforço muscular e as diferentes lesões. Cada praticante pode inferir o que necessita para cada grupo muscular, e para a situação em que se encontra, tomando a melhor decisão de como se preparar melhor para sua atividade. Para mais informações e dúvidas, acesse: https://www.facebook.com/michaelis.med.br.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome