Esse é um tema que não recebe o tratamento adequado entre os amadores, já que é pouco treinado. Para ser didático, vou dividir a explicação em parte técnica e tática e opções de devoluções.

Split step: na preparação para receber o saque, o jogador dá aquele salto vertical e cai com os dois pés no chão, movimento que gera ação rápida para devolver a bola.

Preparação curta: usada para dar tempo de responder ao sacador. Quando a bola vem muito rápida, o tenista não tem tempo necessário para fazer uma preparação longa.

Ponto de contato: necessário ser na frente do corpo. Para saber que teve eficiência nesse quesito, você deverá estar com o braço esticado no momento do contato.

Outra questão importante na devolução moderna são as pernas. Se a bola for para seu forehand, coloque a perna direita para o lado a fim de ter equilíbrio e ser agressivo na devolução. Quando receber no backhand, faça o mesmo movimento, só que com a perna esquerda. Os jogadores profissionais fazem bastante uso dessa ação atualmente.

Tipos de devoluções: acho fundamental o jogador saber devolver de várias formas, pensando em dificultar o sacador.

– Devolução bloqueada: quando o saque vem forte, o tenista que vai receber utiliza a empunhadura continental. É igual um voleio, você bloqueia na frente do corpo. O Wawrinka e o Federer são exemplos dessa prática.

– Devolução de slice: quando dá mais tempo de devolver. Você também pode se tornar agressivo e subir à rede com uma bola baixa.

– Devolução com top spin: com bolas altas no fundo, como o Nadal gosta de fazer. O recomendável é ficar mais atrás da linha de base, porque aí terá tempo para executar dessa forma.

– Devolução agressiva: pegando o Djokovic como referência, que fica mais em cima da linha de base e pega a bola bem na frente, chapada.

Se tiver variações na devolução, aumenta a chance de levar problemas ao adversário e, consequentemente, obrigá-lo a mexer no serviço. O sacador pensará mais, isso é bom.

Na parte tática da devolução, normalmente quem está mais atrás, citando o Nadal novamente, a bolinha volta profunda e no meio, para se tirar o ângulo. A resposta ao saque mais agressiva é na paralela.

Não há uma regra. A devolução de saque depende de várias situações do jogo. Se, por exemplo, o adversário estiver errando, você tende a ser mais conservador. Por outro lado, quando o sacador comete poucos erros, você precisa elevar a agressividade.

Quando se joga com um atleta alto ou lento, é importante devolver bloqueando e deixando a bola mais baixa, assim o sacador terá dificuldade de bater. Sempre bom lembrar também que a devolução tem relação com o piso que se joga, assim como com as características de cada jogador.

PROFISSIONAIS


Mesmo na quadra rápida, o Nadal devolve atrás, mas varia algumas vezes e se posiciona à frente dependendo do oponente. A despeito disso, o espanhol prefere ficar recuado para devolver a bola alta, pensando em ter tempo de mandar nos pontos e aí, durante o rally, consegue se posicionar melhor.

O Djokovic, pela própria característica, raramente vai para trás. O Federer também é assim, mas a diferença é que ele muda a forma de devolver, às vezes usa o slice e confunde o adversário.

Treine sua devolução de várias formas, seja com slice, batendo mais dentro da quadra, atrás com bolas altas e bloqueando. Veja qual se adapta melhor ao seu jogo, mas não deixe de variar porque assim você terá uma arma a mais.

 


Ricardo CoelhoRICARDO COELHO é coordenador técnico da Hebraica. Na função de técnico, viajou para três torneios Grand Slam com Júlio Silva, Rogério Dutra Silva e a argentina Maria Argeri. Formou-se em biomecânica aplicada ao tênis, em curso internacional da ATP e nos cursos de níveis 1, 2, 3 e 4 da CBT e ITF

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome