Vou falar de um tema importante para quem é jogador iniciante ou que já tenha até mesmo nível avançado: empunhadura

Com a experiência que adquiri no tênis, digo que há tenista ou aluno que não sabe que empunhadura usa. É fundamental ter esse conhecimento, sobre as formas como se segura a raquete e estilos que a empunhadura proporciona.

A empunhadura tem a ver muito com o jogo de cada atleta, desenvolvido na iniciação com o professor ou da maneira como seu treinador te ensinou essa “pegada” na raquete – que acaba influenciando no padrão e estilo de jogo.

A influência do técnico, importante dizer, tem relação com o alto rendimento, não com a iniciação ou com o jogador intermediário. Vou dar um exemplo. Roger Federer e Grigor Dimitrov possuem um estilo muito parecido, tudo por conta das empunhaduras iguais e que tornam o padrão igual dos dois também. Não é à toa que Dimitrov é apontado como possível sucessor do suíço no circuito profissional.

Veja quais são as empunhaduras de direita e esquerda (de uma e duas mãos):

Continental: A empunhadura Continental é a mais tradicional ou martelo, como antigamente se dizia. É utilizada mais para saque, voleios, smash, slice e há muitos anos era lembrada para todos os golpes porque naquela época as raquetes e bolas proporcionavam um jogo mais lento. A bola não quicava alta. Mesmo com a evolução do tênis, a Continental ainda é muito boa para bater na linha da cintura dos dois lados.

Eastern: Usada por iniciantes, a Eastern é ideal para golpear bolas mais retas. Essa é a empunhadura utilizada para produzir top spin, com o ponto de contato na linha da cintura e no ombro. Entretanto, as bolas acima do ombro são mais difíceis de serem rebatidas. Federer e Dimitrov jogam mais com essa empunhadura. Quem está começando no tênis normalmente usa a Eastern para sacar e, com o tempo, passa para a Continental.

Semi Western: É uma empunhadura mais moderna, que produz um golpe firme com regularidade e top spin, boa para bolas altas e a média altura. Muitos profissionais jogam com essa empunhadura, tais como Andy Murray, Serena Williams e Jo-Wilfried Tsonga. Para iniciantes, a bola baixa oferece grau de dificuldade maior, mas não para os profissionais – que utilizam o punho para “consertar” a bola.

Western: Empunhadura um pouco mais virada do que a Semi Western, é a preferida dos espanhóis pelo estilo de jogo deles e pela quadra de saibro. Como a bola sobe mais no saibro, essa empunhadura se encaixa bem com bolas acima dos ombros, mais baixas e rápidas. Por outro lado, pode se tornar terrível para bater ou jogar em quadras rápidas. Novak Dokovic, David Ferrer e Rafael Nadal usam a Western.

Empunhaduras com uma mão (backhand):

Eastern: Indicada para quem está iniciando pela facilidade de mudança, a Eastern também é arma de muitos profissionais. É uma empunhadura boa para golpear bolas na altura da cintura. Fica mais complicada quando é preciso devolver bolas mais altas, ao mesmo tempo que é interessante para bater reto e também não é difícil de introduzir o top spin. Federer e Tommy Haas jogam com essa empunhadura.

Semi Western: É uma empunhadura mais moderna. Recomendável para rebater bolas altas e na linha da cintura, também interessante para dar top spin. A Semi Western dá muita regularidade no golpe. Era uma das preferidas de Gustavo Kuerten.

Empunhaduras com duas mãos:

Eastern – Eastern: Empunhadura moderna, usada muito no tênis masculino e indicada para os mais avançados. Ideal para bater as bolas na linha da cintura e na devolução de saque, por conta da velocidade da bola e do tempo de reação.

Continental – Eastern: Recomendada para iniciante e muito utilizada hoje em dia por profissionais, em função de ser uma empunhadura versátil, que é boa para executar golpes em diversas alturas. Maria Sharapova e o argentino Juan Martin Del Potro são dois dos profissionais que recorrem à Continental – Eastern.

Continental – Western: É uma empunhada mais avançada e vista de forma recorrente no feminino – e com boa frequência no tênis masculino. Ajuda a gerar mais top spin e facilita muito para bater bolas mais altas. Serena Willians e Rafael Nadal, entre outros, gostam dessa empunhadura.

Forte abraço e até breve.

*A palavra empunhadura foi usada diversas vezes nesse artigo para tornar a explicação mais didática possível.


Ricardo CoelhoRICARDO COELHO é coordenador técnico da Hebraica. Na função de técnico, viajou para três torneios Grand Slam com Júlio Silva, Rogério Dutra Silva e a argentina Maria Argeri. Formou-se em biomecânica aplicada ao tênis, em curso internacional da ATP e nos cursos de níveis 1, 2, 3 e 4 da CBT e ITF

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor deixe seu comentário!
Por favor preencha seu nome